quarta-feira, 11 de abril de 2018

Revista CARTUM nº 120

E para sair um pouquinho dos padrões que possam tornar o seu conteúdo um pouco repetitivo, a Revista CARTUM apresenta em sua centésima vigésima edição, um conteúdo diferenciado: a "História da Ciência" - Parte II. Na primeira parte, publicada na edição 115, em setembro de 2017, foram abordadas uma série de informações peculiares a respeito da vida de 4 importantes cientistas, bem como as contribuições que todos deixaram para a humanidade. Naquela edição foram citados: Aristóteles, Galileu Galilei, Isaac Newton e Benjamin Franklin.



Desta vez, serão apresentados 2 sanitaristas brasileiros e 2 inventores estrangeiros:


O norte americano THOMAS Alva EDISON (1847 – 1931) foi um dos precursores da revolução tecnológica do século XX e é até hoje o maior inventor de todos os tempos, tendo sido autor de 1093 invenções. Entre as suas contribuições mais universais, encontra-se a lâmpada elétrica incandescente, o fonógrafo, o gramofone, o cinescópio, o ditafone e o microfone de grânulos de carvão para o telefone. Teve também um papel determinante na indústria do cinema.



 NIKOLA TESLA, nascido na Sérvia, tornou-se cidadão norte-americano. É muitas vezes descrito como um importante cientista e inventor da modernidade, um homem que "espalhou luz sobre a face da Terra". É mais conhecido pelas suas muitas contribuições revolucionárias no campo do electromagnetismo. As patentes de Tesla e o seu trabalho teórico formam as bases dos modernos sistemas de potência eléctrica em corrente alternada (AC), com os quais ajudou na introdução da Segunda Revolução Industrial.


O jovem OSVALDO CRUZ (05/08/1872 - 11/02/1917) sempre demonstrou aptidão para os estudos, pois aprendeu a ler e a escrever aos 5 anos de idade. Aos 15 anos, já estudante de medicina, adquire o seu primeiro microscópio. Aos 24, vai estudar em Paris, tornando-se discípulo de Emile Roux, no Instituto Pasteur. Aos 29 anos, foi convidado a dirigir o Instituto Soroterápico Nacional, sendo decisivo na eliminação de diversas pragas e epidemias.


No final do Século XIX, o Dr. VITAL BRASIL (1865 / 1950), liberou frentes de combate às epidemias de febre amarela, cólera, varíola e peste bubônica. Trabalhou com seu amigo Osvaldo Cruz, no Brasil e Albert Calmette, na França, o qual havia desenvolvido o soro anti-ofídico a partir do veneno da cobra naja. Em 1899, o Dr. Vital Brasil assume o Instituto Butantã, o qual dirigiu por vinte anos. Em 1917, recebe a patente do soro anti-ofídico específico, e doa para o governo brasileiro.



E ainda...
APRENDA INGLÊS DANDO RISADA (O médico que é comentarista esportivo);
DIMINUA A POLUIÇÃO VEICULAR;
1 TIRA inédita.




Os assinantes vão receber o seu exemplar da Revista CARTUM nº 120, a partir do dia 15 de abril, junto com um exemplar da revista LEITOR VIP nº 48 (  https://revistascartum.blogspot.com.br/2018/04/revista-leitor-vip-n-48.html  ) e um adesivo divertido!

A terceira parte da História da Ciência será publicada em alguma edição de 2019.

A todos uma boa leitura!!

Nenhum comentário: